Colóquio Tríptico de paixões

Fotografia da apresentação "Ecos dos Sermões - A Paixão segundo todos os homens", Wilson Rio Apa, Florianópolis, 1977. Fotografia: Sérgio Rosário.

Fotografia da apresentação “Ecos dos Sermões – A Paixão segundo todos os homens”, Wilson Rio Apa, Florianópolis, 1977. Fotografia: Sérgio Rosário.

1º de abril de 2010, das 14h às 18h
Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles

A palavra paixão é utilizada em diversos sentidos: entusiasmo, furor incontrolável, sentimento de amor intenso capaz de ofuscar a razão, peça teatral cantada, o martírio e o sofrimento de Jesus Cristo. De onde vem essa variedade de significados? O presente Colóquio pretende analisar alguns aspectos de três obras artísticas que tratam do assunto, bem como mostrar os momentos-chave em que este vocabulário foi construído na cultura ocidental, a partir da matriz greco-romana e da matriz cristã. As obras analisadas serão:

a) Paixão grega, ópera de Bohuslav Martinu, baseada no romance de Nikos Kazantzakis;
b) Paixão Segundo São Mateus, de Johann Sebastian Bach;
c) A paixão encenada nas areias da Joaquina;

A entrada será gratuita e serão oferecidas 50 vagas a serem preenchidas no dia do evento, de acordo com a ordem de chegada. Serão fornecidos certificados ao final do evento.

Sobre o/as palestrantes:
Leon de Paula

Professor e ator. Graduado em Artes Cênicas pela UDESC, onde leciona, defendeu recentemente o mestrado em Teatro na mesma instituição, com a dissertação “Ecos dos sermões – A paixão segundo todos os homens”, de Wilson Rio Apa, em Florianópolis. Desde 1997 atua na Companhia Teatro Sim… Por quê Não?!!! tendo percorrido recentemente o Brasil com o espetáculo “O Pupilo quer ser Tutor”, texto de Peter Handke e direção de Francisco Medeiros, produzido pela própria Companhia.

Maria Cecília de Miranda N. Coelho
Doutorou-se em Língua e Literatura Gregas, na USP e Brown University/EUA, com tese sobre filosofia, retórica e drama gregos. É mestre em Filosofia, pela USP, e graduada em Matemática e Filosofia, pela UnB. Em Florianópolis foi professora de filosofia na UDESC, onde coordenou o Grupo Gregos e Baianos e o Projeto Filocinema – um olhar sobre a Grécia Clássica, foi Secretária da Regional Sul da Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos/SUL nos biênios 2004-2005 e 2006-2007. Atualmente está vinculada ao Curso Grego Antigo on-line (UNESP/Araraquara) e faz pós-doutorado no Núcleo de Estudos Antigos e Medievais da FALE-FAFICH/UFMG, com a pesquisa “A produção de emoções e os esquemas retóricos no teatro grego antigo e no cinema”.

Silvana Mariani Hueblin
Formou-se em violão erudito no Conservatório de Música de Schaffhausen, na Suíça. Estagiou como bolsista do Programa Bolsa Virtuose do Ministério da Cultura no Instituto Jaques-Dalcroze, em Genebra. Licenciada em Música pela UDESC, é autora do método de violão “O equilibrista das seis cordas” (Editora da UFPR, 3ª. edição). Atualmente faz pós-graduação em cinema tendo como interesse a música no cinema. Dirigiu os documentários “A Lembrança das Superfícies” e “Búzios de Aquário”, sobre o violinista catalão Luis Soler.

 

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days