Exposição individual de Tiago Romagnani – Duração

Duração
Exposição individual de Tiago Romagnani
20 de outubro de 2010
18h: Encontro com a artista (via Skype)
19h: Abertura da exposição

Comer tempo cru, registro da ação de mover por alguns centímetros uma pedra de aprox 45 toneladas, fotografias

Comer tempo cru, registro da ação de mover por alguns centímetros uma pedra de aprox 45 toneladas, fotografias

Projeto Obra em Perspectiva, com Sônia Gomes Pereira
20 de outubro

Na próxima quarta-feira, 20 de outubro, às 19 horas, o Museu Victor Meirelles promove a abertura de mais uma mostra selecionada pelo Edital de Exposições Temporárias 2010, com a individual do artista Tiago Romagnani. A mostra, que tem como título Duração, apresentará trabalhos inusitados.

Segundo Ana Lucia Vilela, que assina o texto da exposição: “Das máquinas espera-se que produzam. E quando seus desígnios não são de produção, mas apenas de funcionamento? Funcionar e não produzir. Mas algo resta de seu funcionar: tensão de tempo que não se entrega à cronologia porque repete e ao repetir, difere. Homem é resto de máquina e quando a máquina é improdutiva, o tempo que dura é aquele que insiste em não suceder, mas entrelaçar início e fim”. Na sala de exposições temporárias, às 18h, ocorrerá o já tradicional Encontro com o Artista, de forma virtual, via Skype.

Nesta mesma data o Museu Victor Meirelles realiza ainda a 18ª edição do projeto “Obra em Perspectiva”. A convidada desta edição é a professora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Sônia Gomes Pereira, que escreve sobre três esboços de Victor Meirelles para a obra “Batalha dos Guararapes”. Conforme a pesquisadora: “É impressionante como estes esboços nos parecem, hoje, muito mais “modernos”, pela forma mais livre e espontânea – sem o longo processo de rigoroso acabamento a que as obras finais eram submetidas”. Confira o texto completo no site do Museu.

Sobre o artista:
Tiago Romagnani
participou das exposições coletivas Trilhas do desejo – Rumos Artes Visuais, Itaú Cultural, Rio de Janeiro – RJ (2009); Contenedor Juan Downey – Valparaíso – Chile (2009); Resistência Crítica – 9ª Bienal de vídeo e Artes Mediales, Santiago – Chile (2009); Terra de Areia – Centro Cultural Arquipélago, Florianópolis – SC (2009); Mirantes – Rumos Artes Visuais, Itaú Cultural, Rio Branco – AC (2009); Trilhas do desejo – Rumos Artes Visuais, Itaú Cultural, São Paulo – SP (2009); Projeto máquina – Sesc Chapecó, Xanxerê e Joinville – SC (2008); Mostra Circulações – Sesc Av. Paulista – São Paulo/SP (2007); Máquina – Espaço ARCO – Florianópolis/SC (2005). Realizou a exposição individual “A saudade”, Centro Cultural Arquipélago, Florianópolis/SC (2008). Bolsa: CRAC Valparaíso – Rumos Artes Visuais – Itaú Cultural (2010). Atualmente, reside na Alemanha.

Sobre a autora:
Sônia Gomes Pereira
é museóloga, com mestrado em História da Arte na Universidade da Pennsylvania, doutorado em Comunicaçao e Cultura na UFRJ e pós-doutorado no Laboratoire du Patrimoine Français/CNRS, Paris. É pesquisadora do CNPq e autora de vários artigos e livros, decorrentes de interesses de pesquisa no campo da História da Arte Brasileira. Atualmente é professora titular da Escola de Belas Artes da UFRJ.

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days