Sinestesias – Apresentação musical e debate com Roberto Velasco e Rubens Küffer

Sinestesias
Apresentação musical e debate com Roberto Velasco e Rubens Küffer
do Duo Tocata Dois, mediação de Silvana Mariani

duotocata_med

Dia 15 de outubro de 2010, das 19h às 21h
Sala de Exposições Temporárias do Museu Victor Meirelles

O projeto Agenda Cultural do Museu Victor Meirelles propõe um encontro entre a música, a pintura, a fotografia e a literatura. Para tanto, os músicos cariocas Roberto Velasco (violão) e Rubens Küffer (flauta) – do Duo Tocata Dois - realizarão um concerto que convida à discussão sobre a tênue fronteira que separa ou une as artes. O Duo executará composições musicais inspiradas nas artes visuais e na literatura.

O repertório da apresentação do Duo Tocata Dois incluirá algumas obras do compositor Roberto Velasco, entre elas Rio Zaire da Suíte Rios (sobre a pintura de Gonçalo Ivo), Mar Morto (obra inspirada no livro homônimo de Jorge Amado) eFábulas (sobre a composição de imagens realizadas a partir de fotografias captadas pelo celular). Além disso, haverá um debate com mediação da professora de música Silvana Mariani, que irá convidar o público a refletir sobre conceitos como “sinestesias” entre as diferentes artes e “sinergias” entre os artistas. O debate será aberto ao público, possibilitando um diálogo com os músicos.

“Ao falar sobre a participação ativa de quem se vê unido, em certa medida, ao espírito que concebeu e realizou a obra que ele está ouvindo, Stravinsky cita em uma de suas conferências uma famosa frase de Rafael: ‘Compreender é igualar””. É nesse espírito de compreensão que o compositor Roberto Velasco explica a sinestesia que o contato com as telas do pintor Gonçalo Ivo causou no seu processo de composição, culminando na realização de sua Suíte Rios.

Sobre os músicos:
Roberto Velasco
 (Rio de Janeiro, 1963)
Iniciou seus estudos de violão clássico e teoria musical em 1977 no Conservatório de Música e Artes na Ilha do Governador. Em 1980 passou a estudar com o violonista Carlos Alberto de Carvalho. Concluiu em 1991 o curso de bacharelado em violão na Universidade de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob a orientação de Turíbio Santos e Leo Soares. A partir de 1987 começa escrever as composições do seu primeiro disco Suíte Choro para várias formações de câmara. Em 1991 lança Suíte, onde conta com a participação do violonista Bartholomeu Wiese e do conjunto instrumental Quarteto de Roda. Lançou em 2001Sete Mulheres (Obras para violão solo). Em 2003 lançou Rios no Instituto Moreira Salles na exposição do artista plástico Gonçalo Ivo. Em 2007 compôs a trilha sonora para a exposição Fragmentos, com fotografias de seu irmão, Renato Velasco, no Espaço Oi Futuro. Através do violonista e professor Daniel Wolff da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o último movimento da suaSuíte Mar Morto (obra inspirada em Mar Morto, de Jorge Amado) ingressoou no Mestrado da UFRGS, em 2010. Foi professor substituto de violão da Escola de Música da UFRJ (2003 a 2005 e de 2007 a 2008), professor de música da FAETEC/Barreto – Niterói (2004 a 2008) e professor de violão da Escola Alemã Corcovado (2006 a 2007). Em 2009 inicia com o flautista Rubens Küffer o Duo Tocata Dois cuja formação é flauta contralto.

Rubens Küffer de Alencar (Rio de Janeiro, 1973)
Em 1996 obteve o diploma de Bacharel em Música pelo Conservatório Brasileiro de Música, na classe do professor Ruy Wanderley. No mesmo ano, venceu com o Conjunto Angelus (flauta doce, oboé e cravo) o I Concurso Nacional Jovens Cameristas em João Pessoa (PB). Participou de diversos festivais internacionais e foi aluno particular da flautista Laura Rònai. Em 1998 foi aceito pela Faculdade de Música de Karlsruhe (Staatliche Musikhochschule Karlsruhe), Alemanha, para um mestrado em interpretação na classe do professor Karel van Steenhoven (Amsterdam Loeki Stardust Quartet) obtendo o diploma em 2001. De 2001 até 2005, foi professor das escolas de música de Herrenberg e Ehingen, Alemanha. Participou de concertos em inúmeras cidades da Alemanha e da Suíça. Frequentou, como convidado, aulas de música de câmara na Schola Cantorum Basiliensis, Suíça. Em 2005 retornou ao Brasil e, desde então, leciona flauta doce no Colégio Cruzeiro de Jacarepaguá e na Escola Suíço-Brasileira. Participou de várias apresentações com o conjunto Camerata Quantz (UniRio) e, em novembro de 2009, apresentou-se na Sala Cecília Meireles como um dos solistas do Concerto de Brandenburgo IV, diante da orquestra de câmara Bachiana e regência do maestro Ricardo Rocha, no III Festival Bach.

Sobre a mediadora:
Silvana Mariani

Violonista formada pelo Conservatório de Música de Schaffhausen, na Suíça, com bacharelado e licenciatura em música. Silvana tem experiência na área de literatura e cinema e atualmente faz pós-graduação em cinema, com pesquisa na área de cinema e música.

Entrada franca.

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days