Julia Iguti – “Desenhos e Gravuras”

"Verão", 1996 (cid), Florianópolis/SC, Monotipia sobre papel, 60,6 x 42,5 cm, Acervo MVM

“Verão”, 1996 (cid), Florianópolis/SC, Monotipia sobre papel, 60,6 x 42,5 cm, Acervo MVM

De um modo geral as pessoas querem entender a arte que não se expressa com as figuras, como é o caso de Julia Iguti.

Antes de entender esta forma de arte, dita abstrata, é preciso sentir como se fosse uma música orquestrada ou sinfônica. É do sentir as formas com determinadas cores e texturas que pode surgir um entendimento da visão da artista, começando com sua intensidade e síntese de expressão.

Ou seja: com poucos elementos, que por sua vez, se chama economia de linguagem, ela expõe um universo sensível que tem ligações ocultas com a natureza, como se as formas e as cores fossem “coisas” como na realidade são as coisas.

Para os leigos em arte este sentir, que antecede o entender, não é fácil. Porém, é um desafio proposto pela artista através de experimentações da gravura proveniente do desenho e da colagem.

Portanto, se você quer entender o que Julia Iguti expressa, sinta a sua liberdade artística, que é uma comunhão poética com o mundo.

Jayro Schmidt

 

 

Visitações:

Exposição aberta de 19 de junho a 18 de agosto de 1996.

Horários:

Aberto de terça a sexta-feira, das 10h às 18h.
Sábados das 10h às 14h.

Informações:

(48) 3222-0692
museuvictormeirelles.museus.gov.br
mvm@museus.gov.br

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days