Waltércio Caldas – “Estados de Imagem: Livros de Waltércio Caldas”

O Museu Victor Meirelles promove, no dia 12 de dezembro, quarta-feira, às 19h, a abertura da exposição Estados de Imagem: livros de Waltercio, com a presença do artista Waltercio Caldas.

Os curadores Paulo Reis e Daniela Vicentini selecionaram três livros-obras de Waltercio Caldas: Matisse com talco, O livro para INGRES e Velázquez. Estes trabalhos mostram uma das múltiplas faces do trabalho deste artista que insiste em inquietar o olhar do seu público. Em Velásquez, por exemplo, o “leitor” se depara com uma situação onde seus olhos são enganados, as imagens fora de foco pedem para que o olhar se ajuste ao livro, o que não acontece. Além desta impossibilidade física, ainda resta a sensação de que algo falta nas ilustrações do livro, e de fato, das imagens de Velásquez foram subtraídos os personagens, tudo é cenário vazio.

Waltercio Caldas atua no Brasil desde a década de 70, é um dos artistas mais instigantes da arte contemporânea brasileira. Seus objetos, livros de artistas, desenhos e objetos/esculturas, são conhecidos pelo público e a crítica nacional e internacionalmente.

"O Livro Velazquez", Waltércio Caldas, 1996, Rio de Janeiro/RJ, Impressão off-set do livro-obra nº 509, 27 x 31 cm

“O Livro Velazquez”, Waltércio Caldas

Estados de imagem: livros de Waltercio Caldas

Detalhe de obra

Detalhe de obra

Matisse com talco(1978), Velázquez (1996) e O livro para INGRES (1998) trazem em comum imagens da arte e a memória de pintura que elas evocam como matéria poética. Difícil esquivar-se da vontade de relacionar a visualidade da arte de Waltercio à arte que ela sugere. Para essas obras em exposição é preciso pensar nos gestos significativos – colocar o talco sobre a reprodução de Matisse, retirar os personagens da pintura de Velázquez e marcar uma página em branco ladeada pelos postais de Ingres – que silenciam as imagens das pinturas através da obliteração de sua eloqüênciadiscursiva. A produção de Waltercio Caldas, ao considerar o lugar da arte na contemporaneidade, realiza uma reflexão sobre a ocupação e a existência do trabalho de arte dada no próprio trabalho; subjacente, há um pensamento sobre o museu, o evento de exposição, o catálogo, o livro, o design, a publicidade, a história, a cidade e o espectador. Na relação entre imagens e coisas, entre arte e história da arte, constroem-se esses objetos especiais, livros para um espectador atento.

Daniela Vicentini e PauloReis

 

Visitações:

Exposição aberta de 12 de dezembro a 20 de fevereiro de 2008.

Horários:

Aberto de terça a sexta-feira, das 10h às 18h.
Sábados das 10h às 14h.

Informações:

(48) 3222-0692
museuvictormeirelles.museus.gov.br
mvm@museus.gov.br

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days