Di Cavalcanti – “Desenhos”

Carnaval das Crianças Brasileiras desenhos

O Museu Victor Meirelles, anualmente, no dia 18 de agosto comemora o aniversário de nascimento de seu patrono, com uma exposição de um artista de relevância nacional. Em geral, para este evento, associa-se a um museu, do âmbito do IPHAN, órgão ao qual esta subordinado. Como já ocorreu em outras ocasiões, uniu-se ao Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, para juntos prestarem uma homenagem ao grande mestre das artes no Brasil.

Este ano, o artista escolhido para celebrar esta data foi Emiliano Di Cavalcanti (1897 – 1976), que recentemente comemorou o seu centenário de nascimento e é um dos expoentes da Semana de Arte Moderna de 22.

Ao preparar-se para o centenário de nascimento de Di Cavalcanti, o Museu Nacional de Belas Artes, detentor de diversas peças do artista, realizou novos estudos com o intuito de ampliar as informações que possuía sobre sua obra.

dicavalcanti04gCentralizamos nossa pesquisa nos trabalhos pertencentes ao acervo do nosso museu, não muito numeroso, mas de expressiva qualidade artística.

Fixamo-nos, inicialmente, no estudo da pintura Ciganos, óleo realizado em 1940, em um dos períodos mais rico de sua produção artística. Nele, Di Cavalcanti retratou, com lirismo, trabalhadores do campo. Oferecida pelo artista, em 1943, somente no ano seguinte a obra foi adquirida para o Museu Nacional de Belas Artes, através da verba orçamentária do então Ministério da Educação e Saúde Pública, pelo valor, na época,  de quinze mil cruzeiros. Verificamos, em fonte primária, que a referida pintura recebeu um outro título atribuído pelo próprio artista. Em carta de dezembro de 1943, ao então Ministro da Educação e Saúde Pública, Gustavo Capanema, Di Cavalcanti intitula sua obra de “Colonos”. Não sabemos informar como aconteceu a troca do título da peça. Provavelmente um engano na datilografia ou uma leitura imperfeita dos documentos e assim se manteve por mais de cinqüenta anos.

Outro núcleo de obras que investigamos, mais detalhadamente, foi o conjunto de dezoito desenhos, aqui expostos, criados por Di Cavalcanti, a pedido de seu grande amigo, o compositor Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959). Os desenhos não são datados, mas seguramente foram realizados no início da década de 1920. Alguns  possuem inscrições que indicam terem sido realizados para a peça de piano solo de Villa-Lobos, Carnaval das Crianças Brasileiras.

O compositor visualizava essa série de peças curtas, escrita em 1919, mais como um bailado do que como um concerto. Assim, quando decidiu viajar a Paris, Villa-Lobos pediu a Di Cavalcanti que pintasse o cenário e os figurinos, no intuito de despertar o interesse de algum coreógrafo. Entretanto, isso não aconteceu. Ao retornar ao Brasil, em 1927, reformulou o Carnaval das Crianças Brasileiras transformando-o num concerto para piano e orquestra denominado Momoprecoce.

Antes de serem incorporados ao patrimônio do Museu Nacional de Belas Artes, em 1989, estes estudos, pertenciam à viúva do compositor, D. Arminda Villa-Lobos.

Monica Xexéo
Museóloga do MNBA

 

Visitações:

Exposição aberta de 18 de agosto a 15 de novembro  de 1998.

Horários:

Aberto de terça a sexta-feira, das 10h às 18h.
Sábados das 10h às 14h.

Informações:

(48) 3222-0692
museuvictormeirelles.museus.gov.br
mvm@museus.gov.br

 

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days