Hélio Fervenza – “ruídosilenciosos dentrofora”

Detalhe de obra

Detalhe de obra

O Museu Victor Meirelles abre a sua Sala de Exposições Temporárias nesta segunda-feira, dia 11 de novembro, às 19 horas, para receber a exposição ruídosilenciosos dentrofora, do artista Hélio Fervenza.

O artista elaborou um projeto inédito, especialmente concebido para o andar térreo do museu, constituído de uma instalação onde serão utilizadas fitas de Moebius de diversos comprimentos e larguras, confeccionadas em diferentes materiais, como papéis e materiais de embalagem, celofane, cetim, jornal e revistas. As fitas de Moebius são superfícies não-orientáveis, com um único lado e uma única borda. É um espaço topológico obtido pela colagem das duas extremidades de uma fita, após efetuar meia volta numa delas. Deve o seu nome a August Ferdinand Möbius, que a estudou em 1858.

Desde o início de sua prática artística, em meados dos anos 80, Hélio Fervenza vem utilizando diferentes meios como instalação, fotografia, objetos, gravura, múltiplos, impressos diversos e recortes em vinil adesivo, onde são frequentes as noções de inscrição, apresentação, vazio ou intervalo. Três principais centros de interesse são recorrentes em suas criações: as inscrições e intervenções com signos, intervalos, objetos, textos e pontuações num espaço de apresentação, seja ele expositivo ou não; a utilização de dados presentes nesse contexto como elementos constitutivos das proposições artísticas produzidas e a investigação sobre os processos de apresentação, em sua relação com a noção de arte.

Detalhe de obra

Detalhe de obra

Algumas características que definem o andamento e o estado atual da produção artística de Fervenza dizem respeito às noções de lugar e espaço e ao modo como uma determinada proposta artística se relaciona com a apresentação dentro de um espaço expositivo. A constituição física ou a dimensão perceptiva da obra está relacionada, ou é afetada, pelo contexto de sua apresentação e pelas diferentes concepções de arte aí inscritas.

Hélio Fervenza vive e trabalha em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Doutor em Artes Plásticas pela Université de Paris I Panthéon-Sorbonne, professor do Instituto de Artes da UFRGS e pesquisador do CNPq, desenvolve propostas e atividades artísticas junto ao programa FPES – Perdidos no Espaço. Realizou exposições individuais e coletivas em diversos países, com destaque para as Bienais de Veneza, Amsterdã, São Paulo e Mercosul, entre outros.

Visitações:

Exposição aberta de 11 de novembro a 15 de fevereiro de 2014.

Horários:

Aberto de terça a sexta-feira, das 10h às 18h.
Sábados das 10h às 14h.

Informações:

(48) 3222-0692
museuvictormeirelles.museus.gov.br
mvm@museus.gov.br

 

 

 

Deixe seu comentário

COMENTÁRIO
  1. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days