A Originalidade da Cópia: Arte Contemporânea no Início do Século XXI

original

Defesa de Tese de Doutorado A Originalidade da Cópia:

Arte Contemporânea no Início do Século XXI

Lucila Ribeiro Vilela
Orientador: Antônio Carlos Vargas Sant’Anna (Udesc)

Paulo Bruscky,

Paulo Bruscky, “Cópia conforme original/Original conforme cópia, 2013

No dia 2 de agosto, próxima quarta-feira, o Museu Victor Meirelles recebe a artista visual e pesquisadora Lucila Ribeiro Vilela para a sua defesa de tese no Doutorado em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina-Udesc.

A banca tem início às 14 horas e o título da tese é A originalidade da cópia: arte contemporânea no início do século XXI, trabalho realizado sob a orientação do professor Antônio Carlos Vargas Sant’Anna.

Ao final da defesa será aberta a exposição A Originalidade da Cópia, mostra que reúne uma coleção de obras de arte contemporâneas que Lucila Vilela formou durante sua pesquisa no curso de doutorado. Os trabalhos expostos tratam de procedimentos como apropriação, cópia e falsificação, abordando as particularidades que envolvem as questões de autoria. A coleção foi embasada na discussão sobre a originalidade e a cópia no campo das artes visuais implicando em laboriosas questões que, diante das transformações tecnológicas, sociais e políticas, são perceptíveis no início do século XXI.

A tese A originalidade da cópia: arte contemporânea no início do século XXI trata dos procedimentos de cópia em alguns trabalhos de arte contemporânea produzidos no início do século XXI e pontua as diferenças com relação à prática de apropriação nos anos 1960-1970. Nesta pesquisa foram abordadas práticas artísticas que problematizam a noção de cópia, após o avanço da tecnologia digital no início do século XXI. Diante da saturação de imagens e informações, impulsionada pelas novas mídias, a relação com a arte se modificou, os discursos se ampliaram e os procedimentos assumiram formas variadas. Em cada capítulo, obras específicas de alguns artistas funcionam como uma espécie de regentes conduzindo a reflexão, e estabelecendo diálogos com outros procedimentos semelhantes.

“A arte contemporânea trabalha muitas vezes com a natureza reprodutiva de meios imagéticos assimilando técnicas de cópia e gestos de apropriação como parte do fazer artístico. Essa possibilidade é visível no procedimento de muitos artistas que, principalmente com a entrada do meio digital, entendem a imagem trouvé como matéria prima. Assim, o gesto de apropriação, seja de objetos ou de imagens, passa a ser recorrente”, explica Lucila.

Segundo a pesquisadora, os trabalhos selecionados para a exposição procuram evidenciar que, embora o gesto de apropriação e a assimilação da cópia no campo artístico sejam naturalmente absorvidos, existem procedimentos que levantam certas problemáticas, próprias da contemporaneidade.

A exposição A Originalidade da Cópia fica no Museu Victor Meirelles até 12 de agosto. A entrada é gratuita.

———————————————–

Defesa de Tese de Doutorado
A Originalidade da Cópia: Arte Contemporânea no Início do Século XXI
Lucila Ribeiro Vilela
Orientador: Antônio Carlos Vargas Sant’Anna (UDESC)
A Originalidade da Cópia – exposição
Dia 02 de agosto de 2017, às 14 horas
Museu Victor Meirelles
Tel.: 48  3222-0692

Detalhes da Agenda

Onde: Museu Victor Meirelles
Período: 02 Ago, 2017 a 02 Ago, 2017

Publicado como: Eventos